Please update your Flash Player to view content.


Marketing nas redes sociais: não adianta vender ilusões

As redes sociais devem ser vistas como mais uma “tendência” ou como algo inovador, algo que vai além do que os números do ROI podem nos mostrar?

Apesar de ser um assunto polêmico e ter dois focos totalmente diferentes, existe uma grande discussão sobre qual a finalidade das redes sociais, o que deve ser feito e quais resultados elas podem proporcionar.

Quem trabalha com marketing afirma: o objetivo final de qualquer ação sempre é a venda. Devemos destacar que o comportamento dos usuários nas redes sociais, varia entre conhecer novos amigos, compartilhar experiências, curtir novidades e não apenas comprar produtos. Mas, fica claro para o cliente que o marketing nas redes sociais não é a melhor opção para venda em curto prazo?

Esse assunto é tão complicado que até mesmo dentro de uma agência existe a discussão sobre os dois lados desta “moeda”. O atendimento vende uma “formula mágica” para o cliente e cobra o que “não existe” do planejamento. Por outro lado, o planejamento pensa não só no retorno sobre o investimento, como principalmente na interação com os usuários, pois a aprovação e engajamento deles é algo crucial para o sucesso de qualquer campanha nas redes sociais.

Não adianta vender peixe por tubarão e depois cobrar por algo que não existe

Estar nas redes sociais é tão importante como ter um site, pois dos 74 milhões de internautas que o Brasil possui, cerca de 34 milhões passam aproximadamente cinco horas por semana navegando nelas. Esses números realmente impressionam, mas infelizmente passam uma ideia não muito real, ou melhor, distorcida da realidade.

Deve ficar claro para a empresa que vê as redes sociais como uma “oportunidade de ficar rico da noite para o dia“: grande parte desses usuários não está lá para comprar seus produtos e indicar sua empresa para seus amigos.

Para conquistá-los é preciso fazer muito mais do que simples promoções ou descontos na loja.

 

Fonte: Webinsider

   

Impressora 3D chega aos EUA no dia 25 de maio por US$ 1,3 mil

A impressora Cubify, que permite imprimir objetos em 3D com cerca de 14 cm de altura e comprimento, chegará ao mercado norte-americano a partir do dia 25 de maio. Ela será vendida no país por US$ 1,3 mil, de acordo com o site "The Verge".

De acordo com a fabricante, ela é voltada para o consumidor doméstico, permitindo imprimir  objetos de diversos formatos e cores. A impressora funciona por meio de conexão Wi-Fi e utiliza projetos em 3D criados pelo usuário.

Com o aparelho, acompanha um cartucho com material verde para usar na impressão. Cada cartucho adicional será vendido por US$ 50.

impressora3d

 

Fonte: G1

   

Não basta ter bom conteúdo

Há muito tempo todos falam sobre a importância de um conteúdo de qualidade na web. Ter informações realmente relevantes para o público é uma questão imprescindível, além de ser a base da sobrevivência, pois nossos leitores estão cada vez mais exigentes e é assim que deve ser. No entanto, apesar da fundamental importância do conteúdo, não podemos negar que a estrutura na qual ele esteja inserido é extremamente importante.

Uma prova disso? A febre que tomou conta do Facebook, através das mensagens, muitas vezes pequenas frases, que aparecem inseridas em uma imagem de fundo, contextualizada. Ora, muitas vezes vimos as mesmas frases circulando no próprio Facebook, sem a metade do impacto.
Sem dúvida que a imagem funciona como um attencion getter, mas serve para nos lembrar de que uma imagem fala mais que mil palavras. Exatamente por isso, é de extrema importância atentar para o visual do seu blog/site, pois ele é o primeiro impacto que seu leitor terá e pode definir, ou não, se ele lerá o seu conteúdo. É a isca.
Outra dica importante é em relação à poluição visual, que se torna verdadeira gritaria silenciosa causada por informações mal arranjadas na mente do leitor. Quanto mais elementos dispostos, menor tende a ser a atenção desprendida a cada um deles. Por isso, cuidado com o gadgets e banners em excesso ou fora de contexto. Eles podem, ao invés de estimular seu público, afastar por cansar a visão ou simplesmente distraí-lo e impedir que ele absorva o que realmente importa, o conteúdo.
Muitas vezes queremos dar um destaque maior aos banners devido à monetização do blog, mas vale lembrar que o anunciante só está ali devido ao tráfego que o canal possui. Então de que adianta enfatizar os banners se a fonte de tráfego é o conteúdo? Um bom exercício para isso é elencar as prioridades.
Primeiro entender e enfatizar o que faria o seu leitor ficar no site/blog. Em seguida, o que se quer falar primeiro. Somos nós quem devemos conduzir a navegação, o passeio. Nós somos os guias desse roteiro e, para isso, devemos pensar de forma análoga a dos leitores.
Além disso, lembre que o acesso por celular teve aumento vertiginoso e continua crescendo cada vez mais. Seu site/blog está preparado para a levada do mobile? Pensar o site para tecnologias diferentes faz parte do planejamento da arquitetura da informação e sempre dá um retorno interessante.

 

No mais, o conselho é o mesmo de sempre: bom senso. Um site bonito, com uma estrutura de apresentação da informação interessante e com bom conteúdo é imbatível. Lembre-se de que o conteúdo é o presidente, mas o layout e a disposição das informações são a equipe de marketing que permitem que ele esteja lá.

Acesse o Artigo Original: http://www.blogmidia8.com/2012/03/nao-basta-ter-bom-conteudo-tambem-e.html#ixzz1tX60uf2U

   

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Últimas Notícias

Compartilhamento Social

Newsletter


Email Marketing