Please update your Flash Player to view content.


Como esconder seu Twitter do Google

Com tantas redes sociais por aí, às vezes deixamos escapar algumas opiniões que não queremos que qualquer um veja. Até críticas ou elogios que depois nos arrependemos.

O Twitter via sua própria conta na rede social (@Support), publicou um link para a página central de ajuda aos usuários que querem manter seus posts quase anônimos aos olhos do Google. A iniciativa aconteceu devido ao alto índice de perfis do Twitter que aparecem como resposta às buscas no Google. Ou seja, um possível empregador coloca seu nome no Google e a primeira página encontrada é o seu Twitter pessoal.

A primeira sugestão para o anonimato é trocar o seu nome de usuário no Twitter. Se você usar um nome diferente do cadastrado nas configurações, já é um empecilho para as buscas. Crie um nickname, não use seu nome pessoal, se seu objetivo for falar besteira na rede.

Também é possível proteger sua privacidade nas configurações de conta, ou seja, trancar seu twitter, mas isso não será inteiramente seguro. Ao optar por tornar os seus tweets privados, todos os posts que você fez antes dessa modificação continuarão públicos, inclusive, na busca do Twitter.

Além disso, o Google armazena informações antigas, isso significa que mesmo que você tenha mudado ou apagado as informações, elas ainda podem estar por lá, mesmo que o link só encaminhe para uma página de erro.

Eventualmente o Google vai atualizar as pesquisas e ativar sua nova configuração de privacidade, mas se você quiser remover as informações logo, existe outra opção. Primeiro copie a URL da página que você gostaria que as informações fossem removidas. Depois vá para esta página do Google, que explica como criar um pedido de remoção para um link ou página desatualizada. Você será direcionado a outra página onde você pode colar o link e enviar seu pedido, mas você precisa ter uma conta no Google para fazê-lo.

Siga aqui o passo a passo fornecido pelo próprio Twitter.

   

Facebook pode comprar Opera e entrar na guerra dos browsers, diz site

A fonte do Pocket-lint afirma que a compra seria interessante para colocar de vez o Facebook na guerra dos navegadores, atualmente tendo Microsoft e Google como principais protagonistas. No último mês, dados da empresa StatCounter mostraram que o Google Chrome tornou-se o browser mais usado no mundo, tomando para si a coroa do Internet Explorer.

De acordo com o site, a Opera Software atualmente oferece um bom navegador para dispositivos móveis que permanece em franco crescimento ao longo dos últimos anos. Mais de 200 milhões de pessoas utilizam o Opera Mini ou Opera Mobile nos celulares e tablets. Além disso, também existem versões do navegador para tablet e para os PCs nas plataformas da Microsoft e da Apple.

Outra fonte, dessa vez do site The Next Web, afirma que no momento a diretoria da Opera Software conversa com possíveis compradores para a fusão da empresa. A empresa estaria interessada em se associar a algum gigante da tecnologia ou abrir totalmente seu capital na bolsa de valores.

Pouco a pouco, empresas de Internet vêm lançando navegadores próprios. O Google desenvolveu o Chrome e conseguiu coloca-lo na primeira posição em pouquíssimo tempo, sempre utilizando as milhões de páginas vistas diariamente pelos usuários para promover o software. Nessa semana o Yahoo também lançou um navegador, dessa vez para iPad com o diferencial de facilitar a busca por páginas ao oferecer miniaturas delas antes de o usuário clicar e abrir um determinado conteúdo.

Existem sérias dúvidas sobre a capacidade do Facebook gerar receita por meio de sua presença nos dispositivos móveis. Talvez — por enquanto não passa de um rumor — a Opera faça parte da estratégia de Mark Zuckerberg para agradar os novos acionistas mostrando resultados positivos.

Via TechTudo
   

Conceito de smartphone com tela touch transparente é apresentado no Japão

A NTT Docomo, maior empresa de telefonia móvel do Japão, apresentou um protótipo de um smartphone touchscreen com tela transparente. A companhia realizou um evento em sua sede e convidou especialistas em tecnologia e a imprensa para observarem o novo conceito. Segundo os presentes, o resultado foi bem impressionante.

Docomo apresentou telefone com tela transparente no Japão (Foto: Reprodução)

A demonstração ocorreu com o telefone rodando um aplicativo do tradicional Cubo de Rubik (brinquedo popularmente conhecido como Cubo Mágico). Graças à tecnologia touchscreen implantada nos dois lados do aparelho, é possível que um usuário “movimente” o cubo tanto em sua parte posterior como na anterior.

Um ponto negativo do conceito, porém, é que o display não tem um funcionamento tão bom quando submetido à luz solar. Apesar disso, um representante da empresa explica que basta colocar um objeto mais escuro atrás do smartphone para a definição da tela voltar ao normal.

De qualquer forma, este conceito ainda parece estar um pouco longe de se tornar uma realidade. Afinal, a Docomo já preparou uma linha com diversos novos modelos de smartphones para este ano e nenhum deles tem tecnologia semelhante a deste protótipo.

Via TechTudo

   

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

Últimas Notícias

Compartilhamento Social

Newsletter


Email Marketing